Tertúlia — Poema

Partilho convosco este belíssimo texto da Isabel de Sá

Publicado por Paulo Ferreira em

Abro o livro e encontro-me sempre nas mesmas páginas. Inicio a viagem pelo rosto, sinto que o texto nasce na macieza das pálpebras, detenho-me na voluptuosa carnação, penetro na sua intimidade. Quando o pensamento atinge a profundidade de um poço contamina a superfície das palavras, imprime-lhes um brilho novo. É o instante de eu procurar no interior o que me purifica e afasta da escuridão. Isabel de Sá

Saiba mais →