KURIKA - Loja da In-Libris

KURIKA

20407-L2
  • 25,00 €


GALVÃO (Henrique).— KURIKA. Livraria Popular de Francisco Franco. Lisboa. S.d. 13x18 cm. 231-I págs. B.

“Êste livro não se destina àquelas pessoas que conseguiram deixar de ser crianças na porção de tempo que decorre entre o têrmo da puberdade e o degrau convencional da maioridade civil. Pretendemos, é certo, que fôsse um livro para crianças — mas para as crianças de tôdas as idades, entre os quinze  e os oitenta anos, as crianças, enfim, que a idade não consegue matar nem abandonar na alma dos homens, mesmo quando as rugas já lhes sulcam as faces e seus cabelos embranquecem — ou caem para não sofrerem o  desaire de mudar de côr. Êste ‘romance dos bichos do mato’ é uma fantasia sôbre temas reais. Dêle não poderá dizer-se o que se diz aliciadoramente no frontispício de alguns filmes americanos: ‘Os acontecimentos e personagens desta história são pura ficção...’. As minhas personagens existiram, como provam os documentos fotográficos juntos obtidos nas terras em que viveram e se desenvolveo romance (...)”.— retirado do Prefácio.

“Autor de bibliografia de género variado, Henrique Galvão escreveu, entre 1944 e 1953 a trilogia Romance dos Bichos do Mato, constituída pelas obras Kurika, Impala e Vagô. Exímio conhecedor da terra africana e das coisas do mato, o autor transmite-nos uma dádiva preciosa sobre o modus vivendi de alguns animais selvagens, (...) Da trilogia referida, só os romances Kurika e Impala foram publicados. O presente livro, Vagô, que Henrique Galvão escreveu na prisão (Aljube) em 1952-53, não chegou a ser posto à venda. Á excepção de 24 exemplares que o autor conseguiu oferecer a pessoas amigas, a edição, pronta a circular, foi totalmente destruída nas instalações da própria casa impressora. O leitor compreenderá o motivo que levou à dita destruição ao aperceber-se da intenção de Henrique Galvão traduzida no ataque — disfarçado mas intenso — ao regime político então vigente, o que torna ainda mais aliciante este romance.”

Ilustrado nas páginas de texto e em folhas intercaladas.

Inserido na colecção Romance dos Bichos do Mato.

Por abrir. Pequena rubrica de posse no canto superior esquerdo da página 100.