JORNAL DE VIAGENS E AVENTURAS DE TERRA E MAR

07922-L1


JORNAL DE VIAGENS E AVENTURAS DE TERRA E MAR. Porto. Redacção do Jornal de Viagens. Bibliotheca Geographica Illustrada. 1879 - 1883.  23x31,5 cm. 6 volumes E em 3.

“Primeira página do livro de Bordo: Está tudo a postos. As vellas, meio soltas, batem impacientes contra a enxarcia. Principiamos dentro em pouco a nossa viagem ao redor do globo. De quanto tempo será? Esperamos as ordens dos passageiros. Elles dirão até que ponto poderemos romper as balizas do oceano, até que altura subir o aerostato, até que fronteiras devem ser lançados os rails do nosso trem. Por mar e por terra, pelas regradas civilisações europeas, bem como pelas mysteriosas e  sombrias florestas da Africa, a romantica; pelas activas industriaes e progressistas cidades da nova America, ou pelas ruas desertas dos grandes focos extinctos, chamados Pompeia, Herculanum e Troia — pelos sombrios e assombrosos rios de origem desconhecida, ou pelas planicies de gelo que se estendem até ao polo — ao redor d’este globo azul — nós caminharemos incansaveis à voz enthusiasta dos nossos passageiros. (...) Tudo isto gosarás plenamente, balançando-te na frescura da rêde de bordo, sem soffreres os perigos de tam aventurosa viagem, nem o enjôo dos mares encapellados. Vamos, sóbe para o tombadilho. O ferro está em cima, e o vento de feição. Aproa ao mar.”
Muito interessante publicação, vinda a lume em Junho de 1879, tendo como  director Emygdio d’Oliveira, e posteriormente António Ferreira de Brito.
Para além das inúmeras descrições de viagem e de povos distantes, esta publicação dá-nos conta de aventuras e caçadas mirabolantes em redor do globo terrestre algumas passadas nas ex-colónias Portuguesas: “A Caça dos Condores”; “A Caça do Rhinoceronte”; “Os Caçadores de àguias no Alto Minho”; “Jornadas em Portugal - Castro Laboreiro”; “Colonisação de S. Thomé”; “A pesca das Pérolas”; “Os Mundrucus Decapitadores”; A Caça ao Tigre”; “Uma Caça ao Urso”; “Lusitania e Portugal” são alguns dos artigos. Outros artigos como: Os cães do Monte de S. Bernardo; As festas do Natal em todos os paizes; Estudos geographicos: O Globo, oitenta narrações de geografia popular; A Vida Selvagem; As grandes caças, etc.
Em 1881, nº 109 e seguintes, apresenta uma secção dedicada a Estudos Portuguezes: Costumes Nacionais, onde podemos encontrar artigos como: Uma mulher dos arredores de Vianna; A formosa Lusitania; Do Porto à Foz; A Egreja de Cedofeita; O Convento de Santa Clara, A Serra do Pilar; Uma lavadeira dos Carvalhos; Uma mulher de Barrozelas; As festa e superstições em Portugal no XVII seculo, etc.
Possui um curioso número extraordinário (nº55 de 13 de Junho de 1880) dedicado a Portugal e a Camões na comemoração do terceiro centenário do “Grande Épico Portuguez”.
Profusamente ilustrada com gravuras abertas em madeira de exímia execução, muitas das quais em página inteira.
Embora uma parte da colaboração apareça por assinar, realçamos alguns dos nomes dos que nela participaram: Emídio de Oliveira, Francisco J. Pedrozo, Gonçalo M.J. da Cunha Brandão, Manuel Ferreira Ribeiro, Afonso de Morais Sarmento, Alfredo Campos, Rodrigues de Freitas, Serpa Pinto, Vieira Natividade, Stanley, Oliveira Martins, Visconde de Arriaga, Capelo e Ivens,entre muitos outros.

Os volumes apresentados dizem respeito aos primeiros 4 anos da publicação (1879-1883), sabendo nós que a biblioteca nacional, possui a publicação até 1898.
Encadernações com lombada em pele. Assinatura de posse, antiga,  na folha de guarda de todos os volumes. Vestígios de bicho inactivo, no último volume, sem prejuízo do texto.