ZERO

ZERO

08526-X
  • 150,00 €


ZERO. — Cadernos de Convívio, Crítica e Controvérsia. (Composto e impresso na Tip. «Arucitana, Lda». Moura. 1958). 17x26cm. 2 números. B.

Segundo Daniel Pires: “Era uma ‘separata parcial’ do jornal A Planície e os dois números que a constituem vieram a lume em Junho e a 30 de Setembro de 1958. De acordo com a organização, dava publicidade a textos de carácter mais polémico que não estavam no âmbito daquela publicação. Intitulava-se um periódico de escritores novos, criticava energicamente a política das editoras e a imprensa literária comercial, manifestava-se contra a política do elogio mútuo, o academismo e a estagnação da literatura encantada, reivindicando os direitos inalienáveis dos jovens autores, propunham-se constituir um fórum de discussão em que a independência fosse a pedra -de-toque (...)”

Integra capítulos críticos sobre Mário Braga, Alves Redol, Vergílio Ferreira, José Augusto Seabra, José Régio, Alberto de Serpa, Papiniano Carlos e Manuel Pacheco. O 2º número apresenta-se com o título: Líricas Maiores & Menores.

Reduzida tiragem de 500 exemplares. Integralmente impressa sobre belo papel de embrulho, utilizado em qualquer mercearia da época, a que hoje chamamos de reciclado.