TROÇA AO PINA

TROÇA AO PINA

18182-B1-001
  • 220,00 €


XIMENES (Xisto).— TROÇA AO PINA. Palmatoadas no “Espectro”. Porto. Typographia da Empreza Litteraria e Typographica. 1889-1890. 12x19 cm. 4 numeros. B.

“Pode julgar muita gente, principalmente aquella que é duplamente marianacea — de Carvalho, e de Pina — que isto é uma especulação rendosa ou um calculo de burguez financeiro; mas é completo engano. Este individuo que agora vem reflectir em um sorriso a esculpturação do Espectro, é apenas uma pessoa alegre que gosta de rir-se um pouco das protecções que encarnavalecem uma torpe especulação de espiritos não cultos e do bolsas não experientes. Vem de longe, de Paris, do grande centro, espectrar com dezasseis paginas de prosa rancida e empinada as acções da politica portugueza, mas tão infelizmente o faz que em vez de provocar esgares de medo, abre-nos a gargalhada longa, nervosamente ironica, de quem vê as empalmações de um prestidigitador no mais latente da sorte. O snr. Mariano Pina era uma boa pessoa ha alguns annos; mas depois que se fez espectro, antes mesmo, quando fazia apenas ensaios para o papel gracioso que agora exhibe, tem abalado um pouco os seus creditos de homem pensante (...)” retirado da primeira página do nº1.

Série de 4 opúsculos assinados por Xisto Ximenes, pseudónimo escolhido pelo escritor D. João de Castro, para tecer críticas à publicação intitulada O Espectro: castigo semanal da politica / Mariano Pina.

Capa da brochura da frente do nº1 e 3 com carimbos a óleo.