TEATRO PORTUGUÊS

10865-L2
  • 130,00 €


REBELO (Luis Francisco) (Org.).— TEATRO PORTUGUÊS. Uma Antologia seleccionada, prefaciada e anotada por... Do Romantismo aos nossos dias: Cento e vinte anos de literatura teatral portuguesa. (Composta e Impressa por Scarpa, Lda. Lisboa. S. d.). 2 vols. 24,5x23,5 cm. E.

”Esta obra não aspira a ser mais do que exactamente aquilo que o seu título desde logo adverte: uma antologia do Teatro português, do romantismo aos nossos dias. Pretendeu-se apenas, com efeito, apresentar através das três dezenas de peças escolhidas um panorama tanto quanto possível fiel e compreensivo da evolução ou, melhor dizendo, da trajectória percorrida pela literatura teatral portuguesa nos últimos cento e vinte anos, desde Garrett até aos contemporâneos. Se foram bem ou mal escolhidas essas peças pelo organizador da antologia, que assume a responsabilidade por tal escolha e, implicitamente, pelo repúdio das que nela não figuram, se em vez dessas outras lá teriam melhor e mais justificado cabimento, é já outra questão (...)”

Trabalho de grande interesse para a história do teatro português, numa cuidada e valiosa igualmente pela original concepção gráfica de Victor Palla. Profusamente  ilustrada em folhas à parte.

Alguns dos capítulos do índice: 1 - Interrogação sobre a existência de um teatro português — O teatro e a sociedade portuguesa; 2 - Síntese histórica: de Gil Vicente a Garrett; 3 - Garrett e a restauração do teatro português; 4 - Primeiros encontros de Garrett com o teatro — A tragédia Catão e a geração liberal de 1820 — O exílio; 5 - O  Auto de Gil-Vicente, início do teatro romântico — Dramas históricos — Uma obra-prima: o Frei Luís de Sousa — As últimas peças de Garrett; 6 - o equívoco do teatro histórico ultra-romântico; 7 - O melodrama histórico da década de 1839-50; 8 - O melodrama social do meio-século — Gomes de Amorim, Camilo e a caricatura do ultra-romantismo; 9 - A comédia de costumes — Pinheiro Chagas e a sublimação do ultra-romantismo; 10 - A questão de “Bom Senso e Bom Gosto” — A “geração de 70” e o teatro, etc. etc., etc.

Encadernações editoriais em inteira de pele, gravadas a prata na pasta da frente e lombada.