PASSOS EM VOLTA (OS)

PASSOS EM VOLTA (OS)

19594-B1


  1. HELDER (Herberto).— OS PASSOS EM VOLTA. Contos. Portugália Editora. Lisboa. (1963). 12,5x21 cm. 160-IV págs. E.

“(...) Talvez pudesse ouvir passos junto à porta do quarto, passos leves que estacariam enquanto a minha vida, toda a vida, ficaria suspensa. Eu existiria então vagamente, alimentado pela violência de uma esperança, preso à obscura respiração dessa pessoa parada. Os comboios passariam sempre. E eu estaria a pensar nas palavras do amor, naquilo que se pode dizer quando a extrema solidão nos dá um talento inconcebível. O meu talento seria o máximo talento de um homem e devia reter, apenas pela sua força silenciosa, essa pessoa defronte da porta, a poucos metros, à distância de um simples movimento caloroso. Mas nesse instante ser-me-ia revelada a essencial crueldade do espírito. Penso que desejaria somente a presença incógnita e solitária dessa pessoa atrás da porta.(...)” — retirado do conto Os Comboios Que Vão para Antuérpia, pág. 47.

Primeira edição do livro de estreia do autor como ficcionista, composto por seguintes contos: Estilo; Holanda; Um sonho; Polícia; O Grito; Os Comboios Que Vão para Antuérpia; O Coelacanto; Escadas e Metafísica; Descobrimento;  Aquele Que Dá a Vida; Como Se Vai para Singapura; Teorema; Equação; O Quarto; Vida e Obra de Um Poeta; Duas Pessoas; Brandy; Trezentos e Sessenta Graus.

Inserido na colecção Novos Contistas.

Pequena rubrica de posse na página de rosto.