EM CADA DIA SE MORRE

EM CADA DIA SE MORRE

20331-L2
  • 45,00 €


KIM (Tomás).— EM CADA DIA SE MORRE. Poemas. Lisboa/1939. (Tipografia da Liga dos Combatentes da Grande Guerra). 13,5x20,5 cm. 73-V págs. B.

Estreia literária de um dos mais sólidos valores da poesia portuguesa contemporânea, Tomás Kim, pseudónimo literário de Joaquim Fernandes Tomás Monteiro Grilo, nascido em Angola. Edição de muito restrita tiragem.

Capa da brochura com alguma sujidade e manchas de acidez. Pequena rubrica de posse no canto superior esquerdo da página 72.