DO IMAGINÁRIO DO ATLÂNTICO AO ATLÂNTICO IMAGINADO

22284-L22


CARVALHO (José Adriano de) & FONSECA (Luís Adão).— DO IMAGINÁRIO DO ATLÂNTICO AO ATLÂNTICO IMAGINADO. Banco Português do Atlântico. (1993). 22x31 cm. 191-I págs. E.

“Escrito no Outono de 1824, publicado pela primeira vez em 1828, o Dialogo di Cristoforo Colombo e di Pietro Gutierrez de Giacomo Leopardi (1798-1837) constitui um texto onde se plasma com toda a clareza a dialéctica dos dois saberes que acompanha a história do Atlântico até ao século XVII, Em determinado momento da obra, já quase no termo da viagem, Colombo, em conversa com o companheiro, reflecte precisamente esse desencontro interior que acompanha o conhecimento do Oceano. De facto, são dois os Oceanos que estão patentes na transição da Idade Média para a época moderna. Por um lado, há o Oceano de antemão ‘conhecido’, é o Atlântico ideal possibilitado pelo imaginário marítimo; por outro lado, há o Oceano que se oferece aos olhos de quem o encontra, é o Atlântico real das navegações oceânicas. Qual dos dois é ‘mais verdadeiro’? No fundo, é o pathos da dúvida e da desilusão que frequentemente acompanha o conhecimento da realidade, tão diferente das ‘esperanças’ oferecidas pela ficção(...)”

Do índice: O Atlântico do Fantástico ao Maravilhoso; Antologia de textos; As Fontes de uma Memória; A Memória da Viagem Imaginária; O Imaginário da Viagem; A Invenção de uma Memória; Memorabilia; Os Registos de Memória ou as Ilhas de Papel.

Obra de grande qualidade gráfica, profusamente ilustrada.

Primeiro volume da colecção: O Atlântico: A Memória de um Oceano.

Encadernação dos editores.