DEVERES DO CIDADÃO (OS)

DEVERES DO CIDADÃO (OS)

11567-L1


GUIMARÃES (Artur Jorge).— OS DEVERES DO CIDADÃO. Pôrto. Tipografia a Vapor da Imprensa Guedes. 1912. 11,5x16,5 cm.  63-I págs. B.

Numa “oferta gratuita” da Câmara Municipal do Porto, no 2º aniversário da proclamação da República, este pequeno livro, onde vem uma súmula dos deveres do cidadão e de onde retiramos o excerto: “ A geração que ha cinte anos, despertada pela afronta duma nação poderosa, fez vibrar a alma nacional, então quasi morta, conseguiu depois de tantos anos de luta destruir as velhas instituições que decadentes de degeneradas nos arrastavam ao aniquilamento (...) E, como, para vós serdes dignos dos direitos e liberdades que vos legamos, e poderdes conservar intacto esse precioso tesoiro, é indispensavel que sejais escrupulosos cumpridores dos vossos deveres, eu os procurarei indicar aqui a largos traços, para vos servir de guia apenas, pois que a  vossos pais e os vossos mestres compete modelar o vosso coração e formar o vosso carácter (...)”.

De aparecimento pouco frequente.