CRÉDITO AGRÍCOLA DEMOCRÁTICO

CRÉDITO AGRÍCOLA DEMOCRÁTICO

20529-B1


CASTRO (Luís de).— CREDITO AGRICOLA DEMOCRATICO. Propaganda do Credito Agricola seguida do Decreto de 2 de Março de 1911 que o estabelece em Portugal e de modelos d'Estatutos de Caixas Ruraes Economicas e de Credito. Livro recomendado pela Associação Central da Agricultura Portugueza. Lisboa. Livraria Clássica Editora de A. M. Teixeira & C.ª. 1911. 12x19 cm. 450-II págs. B.

“Tão sómente visa este livro a propaganda de uma ideia que urge traduzir em factos. Está ella hoje concretizada em lei do paiz. Necessario é que se apregôe aos quatro ventos. Venho deitar o meu pregão. Tenho em vista despetar o interesse da grey dos nossos campos para um assumpto que reputo da maxima importancia agraria. Procuro convencêl-a d’esta verdade e aqui deixo ao seu dispôr o material preciso para a realisação de uma obra.”— retirado do Prefácio.

Importante contributo para as questões do desenvolvimento e financiamento da agricultura.

Obra com 3 partes:  1ª parte — o autor analisa a história do crédito agrícola em Portugal até ao ano de 1908, referindo os bancos rurais de 1869, a lei de Andrade Corvo, o projecto de Oliveira Martins de 1887, comparando estas realidades com o crédito agrícola em França; 2ª parte —  estuda a execução e as consequências do artigo 49º da lei de 18 de setembro de 1908;  3ª parte — transcreve e analisa o decreto de 2 de Março de 1911 da autoria de Brito Camacho e apresenta vários modelos de estatutos de instituições de crédito agrícola.

Por abrir.