EGOÍSTA (nº12)

EGOÍSTA (nº12)

19428
  • 25,00 €


EGOÍSTA. Director: Mário Assis Ferreira. Editora: Patrícia Reis. Design: Henrique Cayatte. Propriedade de Estoril - Sol SA. 2002. 23x29 cm. B.

“Estamos em festa — esfuziantes — com três prémios internacionais atribuídos à ‘Egoísta’. E logo quando o tema desta edição é o Espectáculo e, como é da praxe, ‘the show must go on’. Pelo que cumpre respeitar as regras: e, — valha a modéstia —, já que não podemos assegurar outra chuva de prémios em anos vindouros, que nos reste a certeza de que não se encerra aqui essa consagração mundial a três anos de vida da Egoísta.(...). Egoísta, — o Espectáculo —: essa nova dimensão de uma ideia que já não não cabe nem se confina à matriz textual e gráfica que originalmente a moldou, antes se projecta, a partir de agora, nos espaços cénicos do ‘Salão Preto e Prata’, consagrada no novo espectáculo diário do Casino do Estoril (...)” — retirado de Egoísta — O Espectáculo da autoria de Mário Assis Ferreira.

Décimo segundo número desta revista trimestral institucional, da sociedade Estoril Sol que completou 18 anos de existência em Março de 2018, constituída por uma equipa coesa e vencedora de vários prémios

Neste número: Sair à noite ou o espectáculo sou eu, por Alexandre Melo; A Paixão de Floria Tosca, por António Mega Ferreira; M. Butterfly, por João Mariano; Louro, rico, louro pobre, por Clara Ferreira Alves; Big Brother isn’t watching you, por Teolinda Gersão; Puro Cubano, por Júlio César; Dante, Shakspeare, Balzac, por Vasco Graça Moura; O espectáculo acabou, por Eduardo Prado Coelho; Acto XX(I), por Margarida Marinho e João Perry; Reality Show, por Nuno Artur Silva; Um homem em três andamentos, por Pedro Rolo Duarte; BD, por Inês Pedrosa e Jorge Colombo; O espectáculo do pânico, por Henrique Cayatte; A arte da fuga, por Fernando Sobral; O meu corpo é um circo; Cannes verus cannes, por João Lopes; One man show, por Joana Andrade; Giorgione e Tyree, por José Duarte; Estoril Mandarim, por Sandra Rocha; Quem cala contente, por João Gobern; Arquitectura espectacular, por Paulo Martins Barata; A arte perdida de saber viver, por Nuno Miguel Guedes; Bailarinas, por Eurico Lino do Vale; Corpos em movimento, por Miguel Szimansky; Amor, por Joana Jorge Gonçalves.