CONTOS E LENDAS DA NOSSA TERRA

CONTOS E LENDAS DA NOSSA TERRA

08880-L1


SOBRAL (Maria da Luz). — CONTOS E LENDAS DA NOSSA TERRA. (Para Crianças). 2ª edição. Precedidos da nota crítica, que acompanhava a primeira edição, de Carolina Michaelis de Vasconcelos. Ilustrações de Alice Rey Colaço. 1936. Livraria Civilização — Editora. Porto. 14,5x20 cm. 209-III págs. C.

Assim diz Carolina Michaelis na sua Nota Crítica: “ Uma Nota Crítica? Não é bem isso que prometi e planeei. Apenas algumas palavras sôbre Contos Infantis e a sua missão educativa. E a brotarem espontâneamente do meu coração louvores sinceros, comovidos, a êsse volume elegante, oferecido aos pequenos que já sabem ler com desembaraço, por uma antiga aluna minha de Coimbra, muito querida, D. Maria Luz Sobral, ajudada irmanalmente pelo lápis de D. Alice Rey Colaço. Louvores pelos assuntos colhidos em parte na história pátria, tendo como protagonistas semi-lendários a Rainha Santa e D. Sebastião, em parte de animais familiares às crianças como coelhinhos, galinhas, pintos e ratinhos (sendo um deles posto em contraste sugestivo, na fábula conhecida, como o rei dos quadrúpedes). Encómios pelo processo de apresentar os Contos artisticamente encaixilhados, como narrados em ocasiões oportunas, como o Natal, pela avó, e outras vezes por entidades animalescas. Encómios sobretudo pelo estilo admiràvelmente adaptado às mentalidades infantis. Linguagem falada, espontânea, viva, pitoresca, dialogada, cheia de repetições, com cuja singeleza estão em harmonia as linhas simples mas expressivas das ilustrações (...)”

Do índice: A lenda das Rosas; As Histórias do Tareco: 1 -  O Coelhinho Branco; 2 - O Caçapinho; 3 - A Senhora Cabrinha Gentil; 4 - A Cotovia; A Lenda da Fontinha Encantada; O Pinto Calçudo; Os Natais e a Gata Borralheira: 1º-  Noite de Consoada; 2º - Brincadeiras Infantis: A Vassourinha; A Arquinha; O Senhor Prior; A Condessinha; As Senhoras; 3º- História do Cepo do Natal; 4º - A gata Borralheira; A Lenda do Rei Saudade; Conto do Natal.

Cartonagem dos editores, denotando algum desgaste, especialmente na lombada.