QUATRO VENTOS

19728-L2
  • 350,00 €


QUATRO VENTOS. Revista Lusíada de Literatura e Arte. Direcção Portuguesa: Amândio Cunha, António Álvaro Dória, Arlindo Ribeiro da Cunha, Egídio Guimarães, Francisco Martins da Costa (Aldão), Manuel Antunes. Direcção Brasileira: Cyro Pimentel, Ilka Sanches, Donatello Grieco. Direcção Galega: Leandro Carré Alvarellos, Ramón Otero Pedrayo, Sebastián Martinez Risco. Administração e Propriedade da Livraria Cruz & Companhia, Limitada. Braga. 1954-1960. 14 números da I Série e oito da II Série. 17x23 cm. B

“Esta revista procura fundar-se em bases sérias, na realidade e não na utopia. A ARTE, a que se dedica, não tem adjectivos. Não a limitam fronteiras nem escolas. Sua perenidade transcende a pessoa do Artista. É valor universal. Por isso qualquer dos seus cultores achará nestas páginas caloroso acolhimento. Nacionais e estrangeiros, que é como quem diz Gregos & Troianos, virão sentar-se à nossa mesa de trabalho (...)”.— retirado de Manifesto aos quatro ventos.

Foram publicadas duas séries: a primeira com 14 números, sendo o último de Julho/Dezembro de 1957 e a segunda série com oito números de Janeiro /Março de 1959 e Dezembro de 1960.

“(...) Recorda Francisco José Velozo: ‘A Galiza espanhola sofria então, nos anos 50, sob a pata autocrática do Franquismo (que parece ainda não esquecido nos disfarces da generosa autonomia da moderna restauração monárquica em Espanha). Bouza Brey, Carré Alvarellos e tantos outros só podiam publicar sob censura e em castelhano. Os jornais galegos nem anedotas ou caricaturas podiam trazer, que tivessem frases em galego. a própria etnografia era censurada, designadamente os ranchos folclóricos galegos! Assim sendo, a publicação de textos e autores em galego é certamente um acto de afirmação e também de ‘libertação’ dos pensadores da Galiza”— retirado de Dicionário da Imprensa Periódica Literária Portuguesa, de Daniel Pires.

Destacamos ainda o nº13/14 da série inaugural, inteiramente dedicado à França onde consta um poema inédito de Paul Veléry: Figurines.

As páginas desta importante revista apresenta as seguintes rubricas: poesia, teatro, artes plásticas, ficção, documentos humanos, crónicas, ensaio, convivium e recensões.

Colaborada por nomes de grande prestígio como são os de Agustina Bessa-Luís, Azinhal Abelho, José Régio, Cecília Meireles, Alfredo Magalhães, António Manuel do Couto Viana, Aquilino Iglesia Alvariño, Alberto de Serpa, Cyro Pimentel, David Gale, Enzo di Oppa, Gaston Bougeois, García Nieto, Ilka Sanches, João Cabral de Melo Neto, Joana Fradique, Leandro Carré Alvarellos, Luigi Fiorentino, Luís Forjaz Trigueiros, Manuel Dias da Fonseca, Milton de Lima Sousa, Ramón Otero Pedrayo, Paul Valéry,Fausto José, Eugénio de Andrade, Rebordão Navarro, Tomás de Figueiredo, Pedro Bom, Pedro Homem de Mello, Vicente Campinas, Victor Buesco, Xosé María Álvarez Blásquez, entre muitos outros.

Ver mais