PEDRO SORIANO

07697-R-B-X-009


JUNQUEIRO (Guerra).— PEDRO SORIANO. Paris - 2119. (S.l. nem data autêntica). 11,5x16,5 cm. 14 págs. B+estojo.

Pedro Soriano, em 1881, foi condenado (cumpriu pena de prisão e degredo) por ter simulado o casamento religioso, para disfrutar dos prazeres carnais com uma jovem. Este feito, foi tão condenado como invejado pelos seus contemporâneos. Guerra Junqueiro, ao que parece, encontra-se no segundo grupo, tendo chegado a dedicar-lhe um poema de circulação clandestina. Diz-se que, anos mais tarde, tentou reaver os exemplares dessa restrita tiragem, de forma a não lhe mancharem a reputação.
RARA e valiosa edição deste inusitado poema licencioso de Junqueiro, impresso em excelente papel de linho, cuja introdução é a seguinte:
"Pedro Soriano foi o heroi de um casamento simulado que houve em Lisboa. Tinha o membro viril desenvolvidissimo. Uns amigos de Junqueiro, encarregaram-se de lhe apresentar o Soriano, porque tendo contado a Junqueiro a enormidade do membro, ele dissera que exageravam. Junqueiro viu e exclamou: “Tamanho membro merece um poema”."

Capa da brochura com mancha de oxidação junto ao agrafo.

Preservado em estojo In-Libris Officina em inteira de pele de rena, gravada a laser na pasta da frente e lombada.