GUIA HISTÓRICO DO VIAJANTE NO PORTO E ARRABALDES

10486-L1


GUIA HISTORICO DO VIAJANTE NO PORTO E ARRABALDES. Porto. Na Livraria e Typographia de F. G. da Fonseca — Editor. 1864. 12x19 cm. 204-XVI págs. B.

“Magnifico quadro aguarda o viajante, que, por manhã serena de dia estival, demandar, do mar alto, a barra do Porto. à luz frouxa do dilúculo, mal se esfumam no horisonte as costas de Portugal, d’esta terra, ‘namorada do mais formoso céo, sombreada de larangeiras e murtas, acobertada de verde e bordada a alcatifa, amorosamente abraçada do oceano, talhada e regada de tão espelhados rios!’ Vae pouco a pouco apontando o dia.(...)”. (da introdução).

Guia do Porto de 1864 que contém os seguintes capítulos: Introducção; Chegada ao Porto; Corpo Consular; Administrações dos Bairros; Designação dos Becos, calçadas, ruas, praças, etc., por freguezias; Hoteis; Cafes; Theatros; Jardins e passeios publicos; Divertimentos particulares; Estabelecimentos de banhos; Palacio Real; Paço Episcopal; Municipalidade; Tribunaes; Estabelecimentos de instrucção; Bibliotheca publica; Museus; Templos; Outros edificios publicos; Quarteis; Prisões; Telegraphia electrica; Cemiterios; Fontes e Chafarizes; Toques de Incendios; Mercados; Matadouro; Estabelecimentos uteis; Companhias; Agencias; Associações; Real Sociedade Humanitaria; Companhias de Seguros; Bancos; Corretores; Despachantes; Tabelliães; Photographos; Armadores; Localidades de Repartições publicas; Fabricas e Laboratorios; Varios estabelecimentos; Correio; Malas-Postas; Diligencias; Estações de caleches e seges; Alquilarias; Carreira de vapores para Lisboa; Caminho de ferro; Monumentos, ruas, praças, etc.; Força militar; Arrabaldes.

De referir que este último  capítulo possui os seguintes sub-capítulos: Villa Nova de Gaia; Convento e Serra do Pilar; S. João da Foz; Matozinhos; Leça da Palmeira; Leça do Balio; S. Pedro da Cova; Avintes; Campanhã; Moedas Portuguezas; Moedas estrangeiras.

Ilustrado em folhas à parte, em papel de superior gramagem, e nas paginas de texto, nomeadamente com gravura da Torre dos Clérigos em folha desdobrável.

As últimas dezasseis páginas do Guia são de publicidade facto curioso para o estudo da época.

De muito raro aparecimento no mercado, sobretudo no estado de conservação em que se encontra.

Exemplar bem conservado, apenas com alguns picos de acidez, próprias do papel nas gravuras impressas em separado.