Loja da In-Libris

ENQUANTO JACTOS E HIATOS

02456-L1

CASTRO (E.M. de Melo e).— ENQUANTO [ ] [ ] JACTOS [ ] E HIATOS. Edições Com/Arte. (1994). 18x18 cm.81-IX págs. B.

“A chave deste conjunto de poemas (texto único e contínuo?) é a descontinuidade enunciada no próprio título. Título que se integra no todo como uma das suas partes: o “jacto” inicial. Pelo “enquanto” assegura-se a continuidade que se teve de hiatos e de jactos: sucessivos sintagmas emocionais, que o leitor lerá articulando-os completando-os, decifrando-os.(...). No conjunto da sua produção poética, este livro tem o sabor visual de uma re-posição do concreto: síntese neobarroca do verbal e do não-verbal na indeterminação icónica. (...)”.

Capa de Rodrigo d’Ávila Pimenta.

 

Liquid error: Could not find asset snippets/punchtab-snippet.liquid