DECAMERON (O)

18447-L2-010


BOCCACCIO (Giovanni).— O DECAMERON. Prefácio e tradução de Urbano Tavares Rodrigues. Ilustrações de Alice Jorge, João Abel Manta, Fernando de Azevedo, Júlio Pomar, Vespeira. Editorial Minotauro, Lda. (Lisboa. 1964). 2 vols. 18x23,5 cm. XV-I-580-X e 507-XI págs

“(...) Entre os múltiplos valores do Decameron há que ressaltar, assim, desde já, ao nível da sua qualidade estética, o variadíssimo documentário das feições, dos sentimentos, das ideias, dos costumes da Itália do século XIV, feições, sentimentos, ideias, dos costumes que, bem fora de uma exposição retórica, surgem nestas novelas dinâmicamente, isto é, sempre em acção, e até com essoutro dinamismo que lhes advém de um conflito entre a alma medieval moribunda e a consciência renascente, o qual conflito se encontra tanto na matéria captada, ou seja, a própria vida, como naquele que a capta: o narrador, o poeta do amor e dos sentidos, o poeta da alegria e da beleza, o poeta satírico excepcional que foi Boccaccio (...)”. — retirado da Introdução.

Excelente edição portuguesa desta obra-prima da literatura universal, escrita entre 1348 e 1353, e que constitui, do ponto de vista estilístico, o mais perfeito exemplo da prosa clássica italiana. Impressa em bom papel, a duas cores, valorizada pelas ilustrações a cores em folhas intercaladas no texto, realizadas para o efeito por alguns dos mais conceituados artistas plásticos portugueses.

Encadernações editoriais, em pele, decoradas com ferros a ouro.