Livro - ARQUIPÉLAGO DE GULAG

ARQUIPÉLAGO DE GULAG

15779-B


SOLJENITSINE (Alexandre).—ARQUIPÉLAGO DE GULAG. Livraria Bertrand. Lisboa. (1975 e 1977). 509-III e 604-VIII págs. B.

“Uma simples carta, escrita a um amigo em Janeiro de 1945, provocou a prisão do capitão de artilharia do Exército Vermelho Alexandre Soljenitsine. Naquela carta estavam escritas algumas palavras amargas contra os privilégios existentes no seio do Exército e contra a conduta de Estaline em relação à guerra. Estaline não admitia, no entanto. qualquer crítica à sua actuação como político e como homem. Por isso, Soljenitsine vê-se condenado, sem qualquer julgamento, a oito anos de prisão e mais quatro de exílio. (...) a difusão de Gulag, em 1974, culminou com a sua expulsão do país e a consequente retirada do direito de cidadania russa.” — retirado da badana do primeiro volume.

Ilustrados nas páginas de texto e em folhas intercaladas.

“Arquipélago: conjunto de numerosas ‘ilhas’ onde viviam, perfeitamente isolados do resto do mundo, os prisioneiros de um certo sistema político.

Gulag: palavra  de origem russa que significa ‘Administração Geral dos Campos’. Campos por onde passaram os sessenta e seis milhões — segundo o autor — de prisioneiros do regime.

Arquipélago de Gulag: crónicas políticas escritas por um Prémio Nobel da Literatura e baseadas na sua própria experiência pessoal e no testemunho de outros duzentos e vinte e sete antigos detidos.” — retirado do texto da contra-capa.

O primeiro volume tem tradução directa do russo de Francisco A. Ferreira, Maria M. Llistó e José A. Seabra. O segundo tem tradução do russo de Geneviève Johannet, José Johannet e Nikita Struve; tradução do francês de Leónidas Gontijo de Carvalho; e revisão de Ayala Monteiro.